Vacina da Janssen, que chegou nesta 3ª ao Brasil, será distribuída a todos os municípios de MG

Secretário de Saúde acredita que remessa chegue até esta quarta-feira (23) ao estado. Ele também disse que Minas Gerais espera receber, no total, em torno de 800 mil imunizantes contra a Covid-19 nos próximos sete dias.

Minas Gerais espera receber uma remessa de vacinas da Janssen até esta quarta-feira (23). De acordo com o secretário estadual de Saúde, Fábio Baccheretti, as doses serão distribuídas a todos os 853 municípios mineiros. Ainda não há definição dos grupos a serem imunizados.

Um lote com 1,5 milhão de doses da Janssen desembarcou no Brasil na manhã desta terça-feira (22), no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos. Minas Gerais recebe, em média, 10% das vacinas distribuídas pelo Ministério da Saúde, o que daria 150 mil doses.

Baccheretti lembrou que a vacina da Janssen é de dose única e garante a imunidade em 15 a 21 dias após a aplicação.

Ainda segundo o secretário, Minas Gerais deve receber, nos próximos sete dias, mais de 800 mil doses de vacina contra a Covid-19. O número inclui imunizantes da AstraZeneca, Coronavac, da Pfizer e da Janssen.

A última remessa entregue ao estado, com 862 mil vacinas da AstraZeneca, chegou nesta segunda-feira (21) e deve ser distribuída aos municípios na quarta (23).

Na semana passada, o governo de Minas divulgou um cronograma de vacinação, prevendo a conclusão da imunização de pessoas com idade a partir de 18 anos em outubro deste ano. Conforme Baccheretti, a antecipação do calendário depende do adiantamento da entrega de doses por parte do Ministério da Saúde.

Variante delta

O secretário declarou que a variante delta do coronavírus, identificada pela primeira vez na Índia, preocupa o estado. Segundo ele, com a confirmação de transmissão comunitária em Goiânia, a Região do Triângulo Mineiro exige mais atenção devido à localização.

Até o momento, um caso de Covid-19 causado pela cepa indiana foi confirmado em Minas Gerais. O paciente ficou internado em Juiz de Fora, na Zona da Mata, e teve alta no fim de maio.

“É um risco real, temos que aumentar a vigilância, especialmente nessas regiões mais próximas de onde já tem a transmissão local do vírus”, concluiu o secretário.

Aumento de casos

Baccheretti alertou que o estado vem sofrendo um aumento de casos de Covid-19 nas últimas semanas. O número de óbitos, que vinha caindo desde abril, está com tendência de estabilidade. Atualmente, 78,3% dos leitos de UTI destinados a pacientes com a doença estão ocupados.

Segundo o secretário, embora o número de casos novos esteja em alta, a pressão por leitos hospitalares tem diminuído, o que pode ter relação com o avanço da vacinação. Hoje, há 134 pessoas aguardando por tratamento em terapia intensiva em Minas Gerais.

Na avaliação de Baccheretti, as perspectivas em relação à pandemia são melhores no segundo semestre, devido, justamente, à ampliação da vacinação, principalmente a partir de agosto.

Mas, para que o número de internações e óbitos caia de fato, é necessário que a população mantenha os cuidados contra a Covid-19, como uso de máscara, distanciamento social e higiene das mãos.

Distribuição de vacinas

O secretário Fábio Baccheretti também falou sobre a distribuição de vacinas para os municípios e destacou que os cálculos atendem critérios técnicos e normas do Ministério da Saúde.

Na semana passada, o secretário municipal de Saúde de Belo Horizonte, Jackson Machado, disse que a capital esperava receber 70 mil doses contra a Covid-19 das 23ª e a 24ª remessas entregues pelo Ministério da Saúde ao estado, porém recebeu 19.336. Ele alegou que o corte foi uma decisão política.

De acordo com Baccheretti, Belo Horizonte recebeu menos doses de vacina nas remessas 23 e 24 porque 66,59% das unidades deveriam ser destinadas a pessoas com comorbidades e com deficiência, e a cidade já tinha atingido 100% deste público na 22ª remessa.

“Não há distribuição de doses de forma aleatória no estado. Ela utiliza parâmetros claros, técnicos, carimbados pelo Ministério da Saúde. O estado quer todos andando juntos, todos terminarão juntos a vacinação. Conversei com secretários municipais de vários municípios, Betim, Contagem, Belo Horizonte, e todos entenderam o critério”, concluiu.

Fonte: Primeiro a Saber

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *