Vereador de Argirita diz ter sido ameaçado de morte e registra BO.

O atual vereador e ex-prefeito de Argirita MG ( 32 km de São João Nepomuceno ) Emílio César Vitoi de 61 anos de idade registrou um Boletim de Ocorrência no último dia 06 de setembro, onde ele relata que foi ameaçado de morte por um cidadão morador também daquela cidade.

De acordo com o relato do próprio vereador , constado no Boletim de Ocorrência, que ele mesmo apresentou ao Portal RKF, Emílio César está investigando “supostas irregularidades” em uma contratação por dispensa de licitação de manutenção de veículos da prefeitura de Argirita.

Vereador Emílio César Vitoi

O legislador gravou um vídeo onde ele relata que no local funciona também , um comércio de venda de bebidas alcoólicas. Segundo ele, no dia 05 de setembro, um de seus funcionários e um amigo deste que também é seu amigo comum, foram abordados pelo proprietário do estabelecimento citado, quando estavam numa festa na casa da avó de um deles no Bairro do Cruzeiro.

Uma hora depois, de acordo com o relato do vereador , o mesmo cidadão , foi até um bar onde ele estava. sentou ao seu lado e o ameaçou de forma presencial repetindo os mesmos dizeres que havia proferido ao funcionário na residência.

O vereador no boletim relata que argumentou dizendo que estava cumprindo sua função de fiscal do povo , na Câmara Municipal. Emílio relatou que disse ao homem que não iria abdicar de seu direito de fiscalizar o Executivo, que não aceitava intimidação e “que ele não estava acusando , e sim investigando a situação”

ASSISTA O VÍDEO ABAIXO DO VEREADOR EMÍLIO CÉSAR VITOI

Versão do acusado : durante a confecção do Boletim de Ocorrência, o acusado compareceu ao Destacamento da Polícia Militar e deu sua versão dos fatos. Ele confirmou que esteve na casa da avó de um dos citados para realizar uma entrega e ao ver o vereador, se aproximou e disse que realmente não estava satisfeito com as denúncias segundo ele infundadas que o vereador estava fazendo sobre sua atividade e disse que queria conversar com ele.

Na versão do acusado, este disse que ao sair da residência viu o vereador em um bar nas proximidades. Ele negou que tivesse ameaçado de morte o legislador nem os outros dois citados , relatando que somente disse para eles pararem de falar o seu nome.

O caso está registrado na 26ª Delegacia de Polícia Civil de Leopoldina.

Fonte:  Kadu Fontana

 

site do café

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *