Universidade Federal de Juiz de Fora terá Centro Integrado na Zona Norte

Universidade Federal de Juiz de Fora terá Centro Integrado na Zona Norte

Local será responsável por projetos de ensino, pesquisa, extensão e cultura, além de funcionar como vertente do parque tecnológico

A Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) irá criar o Centro Integrado de Ensino, Pesquisa, Extensão, Tecnologia e Cultura (Cieptec) na Região Norte da cidade. A propriedade onde funcionava a antiga Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), no Distrito Industrial, foi cedida pela União à instituição, conforme mensagem publicada no Diário Oficial da União (DOU) de sexta-feira (22). O empreendimento será responsável pela realização de diferentes tipos de projetos e, também, irá funcionar como vertente do parque tecnológico. A expectativa é que em dois anos o espaço esteja pronto para iniciar as operações.

A propriedade possui mais de 42 mil metros quadrados, sendo quase 17 mil de área construída. A proposta da UFJF é criar salas de aula, anfiteatros, laboratórios integrados, centro cultural e ambientes que propiciem a inovação para soluções em diferentes áreas, como saúde, energia e combustíveis renováveis. O terreno abriga um galpão, com cerca de 14 mil metros quadrados, que deve ser utilizado como sede administrativa para o Centro Regional de Inovação e Transferência de Tecnologia (Critt) e as pró-reitorias.

Presença na região
O Diretor de Inovação da UFJF, Ignacio Delgado, relatou que, quando a UFJF tomou conhecimento que o terreno seria leiloado, entrou em contato com a Superintendência do Patrimônio da União (SPU) para manifestar o interesse. “Foi pedida uma proposta de ocupação que estivesse alinhada com o desenvolvimento econômico. A princípio, a Diretoria de Inovação e o Critt pensaram na criação de um ambiente de inovação e tecnologia.”

Segundo ele, a proposta foi levada ao Conselho Superior (Consu) da UFJF, que decidiu ampliar o projeto. “Foi salientada a oportunidade da Universidade se instalar em uma região que é muito relevante e possui grande participação no conjunto da população da cidade.”
Assim, além de inovação e tecnologia, serão desenvolvidos projetos em outras áreas. “Há possibilidades de criar espaços culturais numa região carente deles. Ações regulares e eventuais de ensino também podem se combinar a projetos de extensão”, adianta Ignacio. ” A instituição passa a estar definitivamente presente na Zona Norte.”

Cieptec será uma vertente do Parque Tecnológico
Ignacio Delgado explica, ainda, que a localização do terreno permitirá que o Cieptec funcione como uma vertente do parque tecnológico, almejado pela UFJF desde 2012. “A localização é excelente, pois estamos perto de empresas muito relevantes, o que abre a possibilidade de desenvolver parcerias com os pesquisadores, num formato de parque tecnológico.”

Ele destaca que o imóvel está próximo da futura Usina de Bioquerosene e Renováveis, da Termelétrica e do Gasoduto da Petrobras. “É uma área com fontes de energia de alta tensão, fibra ótica para utilização de internet e com fácil acesso à BR-040.” De acordo com a assessoria da UFJF, a propriedade está distante 26 quilômetros do campus e cerca de 50 quilômetros do Aeroporto Presidente Itamar Franco, localizado entre Rio Novo e Goianá.

Ignacio informa que o Cieptec é um projeto diferente do que foi idealizado em 2012, mas que irá funcionar como uma vertente da proposta. “O parque tecnológico é um conceito de ambiente favorável à inovação, promovendo a interação entre empresas e pesquisas”, define. “Em 2012, a UFJF fez uma licitação para a construção do parque no terreno da BR-040, km 790. O documento foi embargado pelo Tribunal de Contas da União (TCU), sendo liberado só em 2014”, relembra. “Quando a atual gestão assumiu, foi orientada a solicitar um parecer do MEC (Ministério da Educação) para a continuidade do processo, mas ainda não obtivemos esta resposta.”

De acordo com Ignacio, o projeto original do parque tecnológico segue paralisado. “Nós pensamos em operar com três unidades que tenham a proposta de serem ambientes favoráveis à inovação e pesquisa. A primeira delas já funciona no Critt (localizado no campus), que desempenha muito bem o papel de interação entre empresas e pesquisadores, e a segunda será no Centro de Integração (CIEPTEC). Quando houver a oportunidade, teremos a terceira unidade na BR-040, km 740.”

Desenvolvimento
Ele avalia que a criação de uma vertente do parque tecnológico na Região Norte pode intensificar as ações com foco no desenvolvimento da Zona da Mata e do Campo das Vertentes. “Esperamos firmar parcerias que permitam impulsionar a competitividade das nossas empresas, mirando numa perspectiva que o conhecimento gerado na cidade forme profissionais que não vejam pela frente opções de trabalho apenas longe de Juiz de Fora e região, e contribuam para fortalecer a economia local.”

Fonte: Tribuna de Minas

site do café

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *